quarta-feira, maio 18, 2005

poesia de pessoa

para ser grande, sê inteiro
nada teu exagera ou exclui
sê todo em cada coisa
põe quanto és no mínimo que fazes
assim em cada lago a lua toda brilha
porque alta vive

7 comentários:

Pedro F. Ferreira disse...

Um poema sobre a unidade do ser vinda de um poeta fragmentado. :)

AmigaTeatro disse...

bolas,
só percebi (acho eu) o poema à segunda, fogo...! :$

paperl life disse...

Obrigada aos dois.

;)

catarina disse...

É que temos sempre muito mais espaço para Ocupar do que imaginamos. Não nos devemos preOcupar se sairmos da linha, se exagerarmos porque, imediatamente, alguém nos manda um berro e voltamos ao nosso lugar.
Por isso vamos lá a ver se nos fazemos inteiros.

patrícia disse...

CATARINA!!!!!(berro)

tás a ocupar bué da espaço nos comentários!

lena disse...

LOL


(a gatita tá melhor, às vezes até tenho que a fechar na caixa para ela não andar por aí a passarinhar pela casa a tropeçar nos pés...

tadica :))

joão disse...

... a propósito, parabéns ao José Carlos Nascimento pela foto do dia 31 de Janeiro (do outro lado). Nem sei porque não ficou na capa do álbum ... era pra ter comentado a foto dizendo: - a alma à flor da pele ...