quarta-feira, março 02, 2005

Do amor que acorda o espírito que dorme

A ALMA
Votada ao fogo obediente ao perigo
feroz do amor ser muito e o tempo pouco,
Chegas ébrio de sonho, ó estranho amigo
E eu não sei se por mim és anjo ou louco.

Num beijo infindo queres morrer comigo.
Nesse extremo és sagrado e eu não te toco.
Esquivo-me: o teu sonho mais instigo.
Fujo-te: a tua chama mais provoco.

A incêndio do teu sangue me condenas
E com ciumentas ervas te envenenas
Dizendo às nuvens que só tu me viste.

Bebendo o vinho de amantes mortos queres
Que eu seja a mais prateada das mulheres.
E de ser tão amada eu fico triste.

Natália Correia
In Sonetos Românticos, 1990

12 comentários:

Elvira disse...

A nossa Natália no seu melhor, como sempre.

Carla disse...

'Ao perigo feroz do amor ser muito e o tempo pouco' - que intenso :) Já estou a suspirar. Beijo grande :)

lena disse...

logo à noite às 23 horas na bic@ense (escadinhas do elevador da bica, à esquerda de quem desce) homenagem a duke ellington featuring natália correia

a música fica a cargo de dois jazz lovers, o johnny e o joão (djs da cooltrain)
as palavras da mestra ficam a meu cargo

vou ser a voz da Natália! viva! :D

;)**

lena disse...

e o jonnhy escolheu o tema laura do ellington para fechar a noite :D

e ele não sabia de nada!!!
lol


beijinhos :)

AmigaTeatro disse...

=)))

E eu apenas passei por aqui pa deixar um beijinho

E a menina veja se se comporta! :D ;P**

Bastet disse...

Beijinhos e que pena tenho de não ter podido ir :(

chOURIÇO disse...

Eu fui!

Ehhhhhhhhhhhhhh!

Ehhhhhhhhhhhhhh!

E correu muito bem!

Ehhhhhhhhhhhhhh!

lena disse...

&;)

Carla disse...

É estranho, mas realmente por vezes ama-se em demasia - especialmente na perspectiva do outro :) Que pena tenho de não estar neste momento na Bicaense :) Beijo grande :)

Carla disse...

Ah, foi ontem! Bem me parecia, pelo poema anterior, que era numa quarta :) Pelo que li num comentário mais acima, correu bem :) Deve ter sido um serão muito agradável :)

Carla disse...

Bem me parecia, mas por este mesmo poema. Não ligues, é cansaço. Não costumo ser desatenta :( Quando era adolescente, ia jantar imensas vezes à Bicaense e agora, de vez em quando, lá há alguma amigo que marca beber um copo lá e ficamos todos cá fora, numa mistura de grupos entre os dois bares que se olham de frente :) Beijo grande :)

paper life disse...

esse é o tipo de poemas da Natália Correia que eu prefiro.

:)