terça-feira, fevereiro 14, 2006

pirilampo

foi a teu lado que me deitei pela
primeira vez num prado, lembras-te?
foi a teu lado que olhei por várias
vezes o céu enorme e estrelado e me
senti acompanhado.
foi a teu lado que chorei e ri, e quando
me perdi me mandaste tomar um duche
de água fria (por causa da Natureza...)
foi a teu lado que parti vidros e
gritei e depois adormeci sem saber como, encantado.
foi a teu lado, ao teu lado, em teu lado
que cresci e aprendi também a ser assim,
- pirilampo -
aquele que pelo escuro se vai iluminando.

P.

7 comentários:

Lyra disse...

comentario ao post abaixo: tenho esse livro, devo ter uns 6 ou 7 livros do pedro paixão. Lembro-me muitas vezes daquele pedacinho da noiva judia "quase gosto da vida que tenho.." (não era para comentar o post a baixo né? mas já está :)) Quando a este "pirilampo", achei tão mas tão bonito :)

damadespadas disse...

"A terra hoje é uma varanda
sobre um jardim de Matisse
um claro degrau de pedra nua
no interior de um poço
rodopiam as cores na água
cintilações, folhas, frutos, sargaços
raízes, e perto talvez os teus passos."
Não sei porquê, mas mal li este post lembrei-me logo deste pequeno poema da Maria João Fernandes cheio de Natureza (Gaia) e de encantamento.
Um beijo de luz

Verdades disse...

Pirilampa :)
Assim como uma fênix?

Verdades disse...

Pirilampa :) É isso mesmo: pirilampa!
Como Fênix. Mas com mais luz!

lena disse...

*:)

Sally W disse...

If the universe did start with a bang - when God loved and the angels sang - one of the sparks that flew - chased time to become you :) xaNax

AmigaTeatro disse...

Que beleza...

Já conhecia. Mas o que é belo, nunca deixa de o ser, mesmo que de uma outra forma: mais ou menos especial, mas belo. Sempre.

:)

Um beijo, Laurinha Maria ;DD***