quinta-feira, novembro 18, 2004

à flor da água

páro um instante
enquanto a lua sobe
e a noite cresce lenta e segura

páro um instante
e invento o teu perfil
à flor da água nua e murmurante


5 comentários:

AmigaTeatro disse...

Bonito! :)***

chOURIÇO disse...

Ora bem, sei que a poesia é um estado de alma. Sei que há cenários imaginados. A minha questão é outra: se a água é murmurante, está em movimento. Se está em movimento, não poderá ter nada desenhado em cima porque nada nela se reflecte com nitidez.

A não ser que seja desenhado com a alma. Ou que se pretenda um efeito blurry.

Ah, já percebi.

:)

lena disse...

aposto que és de um signo de terra, tu
:p

Madalena Pestana disse...

Mas como olhar na lua...

:)

lena disse...

;)