segunda-feira, janeiro 10, 2005

o cerco

essa tua boca em que eu me perco
é o meu cerco
é o meu aperto
e eu não sei ao certo
se te quero perto
se te quero longe para sempre

5 comentários:

Rodrigues disse...

Nem contigo nem sem ti
tem remédio o pesar meu.
Contigo, porque me matas.
Sem ti, porque morro eu.

Eu sofro se não te vejo.
E se te vejo, também.
Primeiro, sofro da ausência.
Depois, do teu desdém.


Peça musical linda, harmonizada por Lopes-Graça.
A poesia (e a música original) é popular, mas não me recordo agora de que região...

Beijinho

Anónimo disse...

Pergunto-me tantas vezes o mesmo... Beijo enorme :) Carla.

jorge disse...

olé olé!
na mouche!

beijos.

LolaViola disse...

Perder-se para se encontrar...

Angelus disse...

;o)

***