sexta-feira, janeiro 28, 2005

o gato

Não há unidade
como ele,
não tem
a lua nem a flor
tal contextura:
é uma coisa
só como o sol ou o topázio,
e a elástica linha em seu contorno
é firme e subtil como
a linha da proa de uma nave.

excerto de ode ao gato, de neruda

3 comentários:

lena disse...

bom fim de semana
:)*

PMarques disse...

Olá Laura.
Gosto muito do teu blog, assim como dos gatos que o invadem positivamente. Adoro gatos. Motivado também pela entevista que deste na SIC Mulher visitei-o e fiquei. E...ontem mesmo, iniciei o meu. Temos o gosto comum pela música, também sou um profissional do meio. Até conhecemos pessoas com quem ambos trabalhámos.
Desabafo: pode ser fácil, mas perceber como se domina a edição do Blog...está a dar-me cabo da cabeça!
Continuação de bom fim de semana. Paulo

Anónimo disse...

Pablo Neruda é fantástico. Os gatos ficaram bem representados. Linda, a foto :) Beijo grande e bom domingo :) Carla.