sexta-feira, dezembro 03, 2004

António Variações, poeta, barbeiro e músico

Image Hosted by ImageShack.us
fotografado por Lena d'Água
Cascais 1982

22 comentários:

LolaViola disse...

Tão bonito, mas tão bonito... Apetece abraçar...

lena disse...

e cheirava bem, e falava sempre baixinho, e a foto fui eu que fiz
;)

estounua disse...

Posso confessar que nunca gostei da figura dele? Mas gostava de o ouvir e gosto bastante da fotografia.

Rodrigues disse...

Que linda fotografia. Como ele.

AmigaTeatro disse...

Por ignorância, ou não, conhecendo algumas músicas dele nunca as associava a tal imagem. Deixo-me sempre ir ao som da música e ao mesmo tempo apareceria a imagem que EU tinha(que eu criava) de António Variações. Estranho, certamente. Estranho pela pessoa que foi; pela imagem que tinha, pelo seu jeito e pelas marcas que deixou ficar.

Talvez seja pura ignorância, ou talvez seja simplesmente imaginação natural – ai minha nossa, as coisas que eu invento LOL ( uffa, consegui arranjar justificações sem meter a idade ao barulho ;P )

;)***

lena disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
lena disse...

curioso que nenhum homem se atreveu a comentar a foto do antónio...

bem-vinda, rodrigues :)*

Manel disse...

É verdade, Laura, é curioso, embora não espantoso, não achas? ;)

A foto é muito bonita e o António foi um alien num país alienado e direitinho e medroso e arrogante. Um de entre vários aliens, felizmente... :):):)

g2 disse...

A meu ver, os homens nada têm contra o AV. Eu gostava muito dele, ou antes, da sua música, da sua maneira de cantar. De vez em quando dou comigo a imaginar se alguma coisa teria sido diferente na música portuguesa, se pessoas como ele e como o Carlos Paião ainda estivessem entre nós.
Creio, portanto, que os homens não comentaram porque não calharam de cá vir. Eu, que sou homem e só agora cá vim, só tenho a dizer-te laura, que fizeste muito bem em nos teres recordado o AV. (Por acaso eu sabia da efeméride antes de aqui vir).
A fotografia está bonita, tenho o António Variações por uma pessoa simples a quem a vida traíu.

Saltos Altos disse...

A foto é linda, as palavras que saem muito poucas, a saudade é imensa.

Beijinhos enormes!

chOURIÇO disse...

O Variações era um tipo muito à frente do seu tempo.

Ainda hoje. Sempre.

E da música nem se fala.

Génio.

Madalena Pestana disse...

e um Homem!

:)

AmigaTeatro disse...

Venho aqui como de costumo e de repente... pum! assusto-me!! Com as cores, com a mudança, do blog, sim... tava à espera de ver tudo tão tranquilo, normal e sem mudanças e ... pum! LOL

ai só tu... ;P**

Truta Laranja disse...

Conheci o Variações e a sua música através do meu pai, que era fanzaço dele. Era curioso ver como o meu pai, sempre muito atinado, sempre de nariz franzido em relação a tudo o que fugisse à regra, ficava de olhos brilhantes quando falava do António Variações, com profunda admiração.

Não é comum um artista ter este efeito em nós... sobretudo porque o conseguia com muito mais do que só com a música ou só com a atitude. Daí ser tão difícil falar sobre ele...

A fotografia é lindíssima! :)

lena disse...

também eu fiquei com os olhos brilhantes ao ler-te, laranja
a minha mãe já era uma senhora de meia idade (não tarda estou eu com a idade que ela tinha quando o antónio apareceu!) e foi ela que me chamou, muito entusiasmada, para ver a primeira apresentação dele no programa que o júlio isidro tinha na altura na rtp

sempre vi nele a mistura perfeita de um passado de renascimento com um futuro inesperado, reflectidos numa alma tão transparente que quase se podia tocar, sem medo

era o que as senhoras viam para além do aspecto e da atitude extravagante, acho eu:
que ele era uma boa pessoa :)

miguita, tá muito frio, tive que mudar a cor do template
;D

Rodrigues disse...

A cor do template está liiiinda!:)

Truta Vermelha/Rodrigues

Anónimo disse...

Desde o momento em que ouvi os primeiros acordes da música "estou além", que não consegui deixar de a ouvir mais, nunca me cansava, e sabia que ali estava uma voz e um som nao convencionais, novos.
Vi logo que deveria ser um "marginal", um não alinhado.
Sobre a sua imagem nunca esperei nenhum estereótipo, e quando a conheci, surpreendeu-me pelo vanguardismo e vi que correspondia ao som que produzia.

A foto tá poderosa a todos os níveis, e parabéns ao fotógrafo (Laura ?), é cúmplice...
e concordo com o que já aqui li, a vida (cabra como é) traíu-o.
Um admirador da Laura

lena disse...

:)*

Draco disse...

Quando o António Variações apareceu era eu um puto e não percebia nada! Só o conheci dos programas de televisão. Não gostei das estravagancias. O meu pai detestava-o por isso e pelo resto. (saiu-lhe o tiro pela culatra!lol)
Entretanto descobri o António Variações por um album chamado TU AQUI. Nessa altura já ouvia as palavras e estas fizeram tanto sentido pra mim. Tive pena de não ter gostado dele.

lena disse...

:)*

Clara disse...

E era eu pequenina, chegada há pouco de Angola, quando o vi no programa do Júlio Isidro a cantar a música do comprimido. "Toma o comprimido que isso passa". E agora veio parar-me às mãos a biografia do Variações. E quanto mais leio, mais me entristeço. Por não ter conhecido esse ser que nasceu muito à frente do seu tempo. Por não ter sentido a vibração que emanava daquele corpo sólido, vestido com roupas peculiares.
Seres como o António não vivem por muito tempo...mas ele vai vivendo no meu ipod...
Bela fotografia. Muito bonita, mesmo!

Helena disse...

falava baixinho, cheirava sempre bem :)